fbpx

Flat Vila Olímpia

Status: Realizado Descrição: Projeto de Arquitetura, Interiores e desenho da marcenaria. Local: Estado de São Paulo Área: 50m² Data: 2019

Com a saída da filha de casa, os costumes de vida de um casal mudaram; a casa na Granja Viana ficou muito grande e pareceu repentinamente afastada, complicando as frequentes viagens a Brasília onde mora a filha com o neto. Para resolver a questão nada melhor do que um apartamento na cidade de São Paulo que proporcionasse uma vida urbana fantástica e ainda facilitasse os deslocamentos ao aeroporto para visitar o neto.

Arrow
Arrow
Shadow
Slider

O casal multi cultural, ela é brasileira e ele é belga, já morou em várias cidades do mundo, como em Londres ao lado do All England Lawn Tennis Club, local onde acontecem os torneios de tênis de Wimbledon, Nova York, onde ela fez um curso de Culinary Arts no Institute of Culinary Education (ICE), entre outras cidades como Phoenix e Bruxelas. Na capital paulista elegeram a região da Granja Viana para morarem, mas ao longo do tempo perceberam que sentiam falta da agitação cultural da megalópole de São Paulo.

A nova morada escolhida, um flat de 50m2 no último andar de um prédio na Vila Olimpia foi reformado pela dupla de arquitetos do Atelier BAM, Juliana Bertolucci, brasileira, e Clément Gérard, francês, outro casal com dupla nacionalidade. Com o projeto pronto, a dupla de profissionais ajudou a proprietária a tocar a obra, que terminou em três meses.

O apartamento foi concebido como uma habitação secundária, para voltar a curtir a cidade, usufruir de sua oferta cultural. Clément comenta: “A planta ameniza o efeito da diminuição dos espaços, a funcionalidade e eficiência do uso da área de 50m². Os espaços serventes são reduzidos ao mínimo e ficam escondidos”. O desejo da cliente era ter uma cozinha discreta, Então o fogão é portátil. Ela, especialista na arte culinária, só precisa de uma panela para cozinhar, mais nada. Além disso, o objetivo era sentir o espaço e curtir os restaurantes da cidade. “Tomar um drink olhando a vista que temos aqui é demais, uma experência”. No futuro, a ideia é alugar o espaço para turistas curtirem a cidade.

Poucos elementos e soluções engenhosas. “Tudo que parece ser simples foi na verdade muito complexo de ser resolvido”, diz Juliana. Deixar a casa limpa deu trabalho para a dupla criativa de arquitetos, que quebraram a cabeça para encaixar tudo e mais um pouco no apartamento. Não existe parede entre sala e quarto, é o próprio armário que faz a divisão, e dentro desse armário tem tudo, de uma lado, aparelhos e fiação para o home theater, do outro, gavetas e o armário propriamente dito, além disso tudo, a porta encaixa perfeitamente no espaço, criando uma maior continuidade entre os ambientes, sem aquela cara de porta. Na lavanderia, a mágica: o ar condicionado, geladeira, tanque, máquina de lavar louça e máquina de lavar roupa se encaixam num mini espaço. “A presença do ar condicionado prejudicava o uso da varanda que a cliente pretendia fazer, então conseguimos instalar dentro desse espaço super funcional.” No quarto, o casal não queria nada que ocupasse espaço, então a cama não tem cabeceira, a parede foi pintada de uma cor diferente do restante. As camas são reclináveis, então a atividade de ler na cama fica muito confortável.

As cores e elementos envolvidos foram escolhidos a dedo pelos arquitetos, “O pedido da cliente era criar um ambiente urbano e contemporâneo, então o cinza foi eleito um dos tons que determinou o estilo do apartamento. A madeira tem bastante presença também e traz o aconchego necessário para o espaço”. Dessa forma temos um lado limpo, mais monocromático, e do outro temos o visual reconfortante da madeira, e entre os dois, temos a deslumbrante vista da cidade de São Paulo e seus arranha-céus.

Além do cinza e da madeira, o material cobre tem presença constante no apartamento. As luminárias Bertolucci têm importância primordial no espaço, os produtos vestem o apartamento, dão personalidade ao espaço. Foi pedido da cliente que colocassemos tudo da marca Bertolucci, ela valoriza o trabalho que a empresa realiza, em especial o aspecto artesanal e único de cada produto. “Lá eles trabalham com matéria-prima nobre, então a luminária é realmente feita de cobre, não é somente um banho como outras empresas fazem, são produtos para toda a vida”, pontua Clément, que já desenhou luminárias para a marca. A proprietária escolheu uma peça desenhada pela dupla, a luminária de mesa 85g em cobre dá o toque final a uma das cabeceiras da cama, “essa acaba tendo um valor sentimental” diz ela, do outro lado, é Camila Sarpi que está presente, com a famosa luminária Cine.

O escritório multicriativo também desenhou o sofá para a cliente, ela queria algo moderno e ao mesmo tempo confortável. São três módulos: poltrona, sofá e puff, os elementos podem funcionar em conjunto ou separados. As mesinhas de centro e laterais também são do estúdio dos arquitetos, que vende produtos através da marca Atelier BAM Design.

Arrow
Arrow
Shadow
Slider

A proprietária é fã de design brasileiro contemporâneo: “ Acho que a diversidade de materiais, a cor de madeiras, e a grande criatividade dos arquitetos e designers são aspectos que fazem a diferença”. A luminária Herba, desenhada pelo Atelier Marko Brajovic e produzida também pela Bertolucci foi escolhida a dedo pela proprietária: “Gosto da Herba justamente pela forma escultórica, impactante logo no primeiro plano de visão ao adentrar no flat”, a luminária esbanja design e arrojamento no ambiente da sala. Outro ponto chave na sala é a poltrona Virah da Decameron, desenhada pelo estudio Ninho, é outra peça que traz personalidade ao espaço. Sobre o painel de madeira que divide os ambientes, o vaso Pós-Tropical desenhado por Guilherme Wentz e produzido pela Decameron traz mais um toque de cobre ao local. A fruteira Utopia, também do Atelier BAM, mistura cobre e madeira nobre imbuia certificada. O tapete By Kamy complementa o ambiente.

A equipe criou um banco de pedra que recebeu tratamento rústico, “Desta forma equilibramos o ambiente, sem deixá-lo muito frio pela presença constante do cinza”. O casal de arquitetos desenhou tudo, desde o gabinete do banheiro até o aparador que separa o sofá da poltrona. “Achamos que os detalhes são primordiais para o resultado de um projeto, eles podem tanto conferir bons ares, como também prejudicar o ambiente quando mal resolvidos”.

A implicação da cliente no projeto foi determinante para o escritório, “fazemos um trabalho de conselho e de resolução de problemas, facilitamos a apropriação do espaço pela cliente. Isso ajuda a mudança de vida, abre espaço para a transformação desejada operar.” Então o projeto inteiro ocorreu de uma forma muito aberta, com muito diálogo. Os arquitetos acreditam que isso ajude os clientes a entenderem melhor as suas necessidades mais profundas – aqueles desejos que eles nem sabem ainda que querem; e por isso acabam gostando mais do resultado, e do processo em si. 


“Adorei a integração com os arquitetos e a participação ativa no desenrolar do projeto. Acredito que posso resumir que os arquitetos souberam traduzir exatamente o que eu queria e necessitava. Ficou lindo! Amei.”


ArrowArrow
ArrowArrow
Shadow
Slider